A SEMANA AGORA

Rota Bioceânica facilitará trocas comerciais com exportadores de fertilizantes – CGNotícias

janeiro 17, 2024 | by asemanaagora.com.br

Os insumos agrícolas são fundamentais para a economia do Brasil, hoje um dos maiores exportadores de grãos do mundo. É por meio do uso de fertilizantes e de insumos que o Brasil vem conseguindo aumentar sua competitividade global e impulsionar o desenvolvimento tecnológico no campo. A Rota Bioceânica vem abrir novos caminhos para essas trocas comerciais e fomentar as relações entre os grandes exportadores de insumos e o Mato Grosso do Sul.

Com a Rota Bioceânica, as trocas comerciais serão potencializadas, pois diminuirá em cerca de 15 dias o período de transporte das cargas até a Ásia, gerando mais competitividade econômica para os produtores locais. Com objetivos voltados ao agronegócio, a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, recebeu na última semana o Cônsul honorário da República do Cazaquistão, Alípio de Oliveira, que veio tratar de possibilidades de relações econômicas com o país asiático, que é um dos potenciais exportadores de insumos agrícolas e importador de soja e carne.

Mato Grosso do Sul é peça extremamente importante nessa negociação, além de ser uma potência no agro, é a porta de entrada da Rota Bioceânica, a qual será fundamental para diminuirmos em tempo, distância e preço das mercadorias. Em face disso, quero agradecer, em nome do consulado honorário, a parceria com a nossa Capital do Agronegócio, a cidade de Campo Grande, nas pessoas da prefeita Adriane Lopes, do secretário da Sidagro, Adelaido Vila, e do Procurador-Geral do Município, Alexandre Ávalo. Mais uma vez, nosso muito obrigado e contem conosco”, disse o Cônsul honorário da República do Cazaquistão, Alípio de Oliveira.

Ele ainda frisou que a República do Cazaquistão é de suma importância para o Brasil, visto a sua localização e poderio econômico, seu PIB representa mais de 62% o PIB da Ásia Central e é um dos maiores produtores e exportadores de gás e petróleo do mundo, sendo o nono em área territorial.

“Atualmente, o município de Campo Grande discute internamente a possibilidade de aumentar a cooperação no campo da economia, cultura e educação entre a capital do estado e uma das regiões do Cazaquistão em nível de parceria. A gestão municipal expressou confiança no sentido de fortalecer a cooperação entre as regiões dos dois países com a elaboração e execução de programas, projetos e atividades entre ambas as localidades, aproveitando-se das vantagens geoeconômicas e geoestratégicas do Corredor Bioceânico”, acrescenta o secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, Adelaido Vila.

Para Paulo César Fialho, gestor do Escritório Internacional da Capital, o encontro estabelece parcerias para Campo Grande e Mato Grosso do Sul, que possuem a economia voltada para o agronegócio. “O Cazaquistão é um grande produtor de adubos e fertilizantes, mas também necessita das commodities para sua segurança alimentar, fechando o ciclo das trocas comerciais e fomentando o desenvolvimento regional. Dessa forma, o foco é agregar valor à produção e através de iniciativas como a Rota Bioceânica, aumentar a competitividade das nossas exportações”, frisa.

O presidente do Setlog MS, Cláudio Cavol, que também esteve na Sidagro nesta semana complementa. “Depois da III Expedição Rila, que aconteceu no fim do ano passado, temos toda uma gama de informações que já estamos discutindo com as autoridades para que eles também possam auxiliar para que essa rota seja moderna e eficiente, que a rota de integração tenha aduana integradas em todos os países. Isso é muito importante. A prefeitura ajudou muito em toda nossa viagem, representando Campo Grande e mostrando o potencial que a nossa capital tem”, finaliza.

*** Atualmente, a Ásia Central abrange os seguintes países: Tadjiquistão, Turcomenistão, Uzbequistão, Quirguistão e Cazaquistão. Esta região também é conhecida como Turquestão (exceto o Tadjiquistão) o que quer dizer “terra dos turcos” ou turcomanos.

Uzbequistão
Exportações (JAN/DEZ – 2023) – USD 268,4 milhões
Principais Produtos: Açúcares e melaços (48%); Partes e acessórios de veículos automotivos (29%).
Importações (JAN/DEZ – 2023) – USD 377,5 milhões
Principal Produto: Adubos ou fertilizantes químicos (99,1%)

Cazaquistão
Exportações (JAN/DEZ – 2023) – USD 49,6 milhões
Principais Produtos: máquinas não elétricas, ferramentas e aparelhos mecânicos (38%); veículos rodoviários (17%); pneus de borracha (9,3%); explosivos e produtos pirotécnicos (15%).
Importações (JAN/DEZ – 2023) – USD 71,5 milhões
Principal Produto: enxofre (97%); produtos residuais de petróleo (22%); elementos químicos inorgânicos (13%).

Tadjiquistão
Exportações (JAN/DEZ – 2023) – USD 2,3 milhões
Principais Produtos: instalações e equipamentos de engenharia civil (78%); medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (12%); outros medicamentos, incluindo veterinários (7,6%).
Importações (JAN/DEZ – 2023) – USD 700 mil
Principal Produto: metais não ferrosos (85%); artigos de tecido (13%).

Quirguistão
Exportações (JAN/DEZ – 2023) – USD 1,1 milhão
Principais Produtos: frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (43%);
Óleos combustíveis de petróleo (14%); outras máquinas e equipamentos especializados (8,1%)
Importações (JAN/DEZ – 2023) – USD 200 mil
Principal Produto: elementos químicos inorgânicos (52%); metros e contadores (32%).

Turcomenistão
Exportações (JAN/DEZ – 2023) – USD 900 mil
Principais Produtos: carnes de aves frescas/refrigeradas/congeladas (36%); equipamento mecânico para manuseio, elevação, guinchos (28%); explosivos e produtos pirotécnicos (15%).
Importações (JAN/DEZ – 2023) – USD 13,2 milhões
Principal Produto: adubos ou fertilizantes químicos (97%).

RELATED POSTS

View all

view all