A SEMANA AGORA

Emprego no setor privado atinge maior patamar da série histórica em MS – Agência de Noticias do Governo de Mato Grosso do Sul

February 19, 2024 | by asemanaagora.com.br

No 4º trimestre de 2023, o número de empregados no setor privado atingiu o maior patamar desde o início da série histórica em 2012, totalizando 743 mil trabalhadores, um aumento de 28% em 11 anos. Esses são os dados mais recentes da PNADC-T (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Trimestral) divulgados pelo IBGE e compilados na Carta de Conjuntura nº 04 – 4º Trimestre de 2023, da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação).

Para o governador Eduardo Riedel, a inclusão das pessoas na vida produtiva é reflexo do ambiente positivo de atração de oportunidades de Mato Grosso do Sul e da política de qualificação profissional. “O real crescimento sem deixar ninguém para trás é a inclusão das pessoas na oportunidade de emprego e renda, para que elas atuem dentro do sistema produtivo. Além de criar um ambiente de desenvolvimento e crescimento, criamos oportunidades para as pessoas conquistarem a qualificação, estudar e poder abraçar essa oportunidade gerada”, afirmou. 

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da Semadesc, essa alta é significativa. “É um indicativo claro da melhoria na condição econômica estadual e na oferta de trabalho, proporcionada pelo ambiente de negócios favorável e pelos novos empreendimentos que vêm se instalando no Estado. Referenda a nossa situação de pleno emprego em Mato Grosso do Sul, que se mantém com o 3º maior nível de ocupação do Brasil, segundo a PNAD”, avalia.

Ainda conforme a PNADC-T, no 4º trimestre de 2023, o trabalho por conta própria, frequentemente referido como autônomo, registrou uma redução de 7% no número de trabalhadores, caindo de 317 mil para 296 mil em comparação com o mesmo período em 2022.

O nível de ocupação em Mato Grosso do Sul foi estimado em 64,0% durante o quarto trimestre de 2023. Houve uma ligeira queda de -0,2 pontos percentuais em comparação com o trimestre anterior, e uma queda de 1,3 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Com esse resultado, a taxa de desocupação para Mato Grosso do Sul manteve o estado na 4ª colocação no cenário nacional, atrás apenas dos estados de Santa Catarina, Rondônia e Mato Grosso. Outro indicador, o nível de ocupação (percentual de pessoas ocupadas em relação às pessoas em idade de trabalhar) no mercado de trabalho do estado atingiu 64,0% no quarto trimestre.

Com relação à taxa de participação na força de trabalho (percentual de pessoas na força de trabalho em relação às pessoas em idade de trabalhar), o percentual de 66,6% foi ligeiramente menor do que o verificado para o mesmo trimestre de 2022, com decrescimento de 0,9 pontos percentuais.

Em termos de renda, considerando o rendimento médio real habitualmente recebido em todos os trabalhos pelos ocupados, tem-se uma renda média de R$ 3.295 registrada para o 4º trimestre de 2023, representando uma variação de – 3,0% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em relação ao rendimento médio nacional o Mato Grosso do Sul tem um rendimento superior em 8,67%.

Marcelo Armôa, Semadesc

Foto: Bruno Rezende

RELATED POSTS

View all

view all