A SEMANA AGORA

Do primeiro emprego a melhor idade, Prefeitura fortalece mulheres com políticas que transformam* – CGNotícias

December 30, 2023 | by asemanaagora.com.br

Aline Paula Marques Ferreira é mãe de dois meninos e trabalha com vendas na Metratom Embalagens. Hoje, com 30 anos, ela tem casa própria, um carro e comemora porque os meninos estudam em uma boa escola. Mas a vida exigiu muito até ela chegar onde está.  Ela conta que começou a trabalhar quando o filho mais velho estava com seis meses. A oportunidade chegou depois de muitos nãos por ter criança pequena e não ter com quem deixar.

“Foi meu primeiro e único emprego até agora. Vim para cá com meu filho pequeno. Ele tinha seis meses quando comecei a trabalhar aqui. Tive muito amparo desde o início. Sempre pude levar ao médico, ir em reunião de escola, a carteira de vacinação está em dia. Fui abraçada aqui”, diz.

Aline Paula conta que começou nos serviços gerais e foi crescendo aos poucos. Segundo ela, sempre que tinha um tempinho buscava aprender sobre os produtos, as novidades, tudo que pudesse. Aos poucos foi ganhando espaço e hoje é a colaboradora que mais vende na loja.

Para a empresária, Rosangela Pereira Machado, apoiar os colaboradores é fundamental para o crescimento da empresa. Ela veio de Goiás, junto da irmã Shirley Pereira Machado, e montou o negócio do zero. “Eu sei bem a dificuldade de começar. Nós iniciamos só com a vontade de trabalhar, poucos acreditavam em nós, não éramos daqui, achavam que não íamos ficar. Duas mulheres, sozinhas, mas tudo foi dando certo, com muito trabalho e conforme a gente foi crescendo precisamos aumentar a equipe. Acabamos tendo esse perfil de contratar mulheres, mulheres sozinhas, mães solo, que buscavam o primeiro emprego. A gente vê que a mulher quando tem a oportunidade ela vai atrás, ela faz acontecer”, diz.

Iniciativas

As iniciativas de fortalecer as mulheres chamaram a atenção e a empresa foi indicada para receber o Selo “Compromisso com a Igualdade de Gênero” – CIG instituído por meio do Decreto municipal n° 13.248 –concedido às instituições públicas e privadas, que se comprometem em adotar ações efetivas em favor da igualdade de gênero no ambiente profissional.

“Me ligaram e me disseram que nós tínhamos sido indicadas por termos práticas de valorização da mulher, ficamos muito felizes porque é um reconhecimento das oportunidades que a gente coloca no mercado. É muito gratificante vermos as mulheres que começam limpando gôndolas se tornarem ótimas profissionais”, salienta.

Aline Paula foi beneficiada diretamente pelas ações e concorda. Ela diz que se não tivesse tido essa oportunidade, não teria entrado no mercado de trabalho. “Muitas mulheres que são mães solo acabam dependendo de auxílio, de ajuda, por não ter essa abertura das empresas. Hoje eu tenho minha casa, meu carro, meus filhos estudam em escola boa e tudo graças a essa chance que eu tive aqui”, frisa.

O selo é inspirado nos sete princípios de Empoderamento das Mulheres, ditados pela ONU Mulheres Brasil em conjunto com a Rede Brasileira do Pacto Global. Para a subsecretária de Políticas para a Mulher, Carla Stephanini, o Selo é uma forma de valorizar o trabalho das mulheres, já que há muitas desigualdades no âmbito profissional para serem vencidas.

“Ainda temos muitas barreiras para serem superadas, como a desigualdade salarial, oportunizar o crescimento profissional e a ocupação de cargos de direção e liderança por mulheres. Nesse sentido, é muito importante reconhecermos essas instituições que se comprometem com o respeito e a promoção dos direitos das mulheres, além de servirem de exemplo para as outras empresas”, diz.

Na Metatron Embalagens homens e mulheres têm as mesmas oportunidades, explica Rosângela. Trabalhamos dentro do princípio da igualdade. Entendemos que todos os seres humanos nascem iguais e desta forma devem possuir as mesmas oportunidades de tratamento, dentro das suas diferenças. Por isso, fazemos questão de apoiar as mulheres que são mães.

Na empresa, as irmãs Pereira Machado construíram um alojamento para os colaboradores descansarem, banheiros com duchas, já que muitos fazem faculdade e saem do trabalho direto para os estudos, refeitório, sala de descanso e até uma área de lazer que pode ser usada no fim da tarde ou fim de semana com mesa de bilhar e tudo o mais.

Espaço do Fazer

E quem já saiu do mercado de trabalho, mas quer continuar ganhando um extra, a Prefeitura de Campo Grande, também tem um cantinho especial só para elas. O “Espaço do Fazer” foi criado no intuito de ser referência para grupo de mulheres artesãs e empreendedoras que buscam formação para gerar renda e conhecimento para o exercício da plena cidadania.

Instalado na sede da subsecretaria, Rua 15 de Novembro – nº 1.373 – Centro, o local objetiva a promoção do empoderamento e a emancipação de mulheres, buscando uma ação que ofereça oportunidades.

Para a prefeita de Campo Grande, Adriane Lopes, as atividades no Espaço do Fazer vão ao encontro do empoderamento da mulher através da informação e da emancipação por meio da geração de renda. “Estamos atentas e cuidando em nossa administração da valorização das mulheres e das políticas públicas voltadas para elas. Estamos trabalhando dia a dia para que essas políticas sejam aplicadas de forma correta”, afirmou.

Maíza Odette Pereira Caldas que participa do projeto diz se sentir muito bem no local. “Eu conheci o projeto através de uma amiga. Venho porque eu gosto, eu me sinto bem aqui. Eu me sinto evoluindo tanto com as pessoas, as amizades, como nos trabalhos manuais que fazemos. ”, diz

Ela conta ainda que quando tem feira aproveita e expõe os produtos e vende alguns dos trabalhos. “É bom, né? Mas graças a Deus eu sou aposentada e não dependo dessa renda. A maioria dos trabalhos que faço eu dou de presente”, revela.

Já Lira Kuntzel que está no projeto desde 2017 diz participar de tudo. “Eu sempre participo das aulas, das feiras, vendo minhas coisas em casa, nas feiras. A gente faz vários tipos de trabalho: pano de prato, trabalho de fuxicos. Tem muita coisa. Nas datas comemorativas fazemos os trabalhos temáticos. Gosto muito de crochê, faço tapetes, faço de tudo. E já tenho alguns clientes já que são meus, que sempre compram”, conta.

No espaço são oferecidos cursos de artesanato, todas às terças-feiras, no período vespertino, com turmas de até 20 alunas. Para participar é só ir até a Subsecretaria de Políticas para as Mulheres, localizada na Rua 15 de Novembro – nº 1.373 – Centro – e fazer a inscrição.

RELATED POSTS

View all

view all